Quais são os tipos de Monitoramento de Poço Artesiano?

07/07/2023 • Atualizado em

Proprietários de poços artesianos, dependendo da finalidade do uso da água, precisam realizar alguns tipos de monitoramento. Além de atender a legislação vigente, monitorar o poço nas questões qualitativas e quantitativas permite uma gestão hídrica mais eficiente.

Veja quais são os tipos de monitoramento e como eles podem ajudar você na gestão do poço.

Monitoramento da Qualidade da Água – MQA
No planejamento anual do monitoramento da qualidade da água estão previstas análises nos pontos de consumo (a quantidade será determinada pela Vigilância Sanitária) e também análises de água bruta, sendo 10 análises simples mensais e duas análises completas (uma a cada seis meses).

Quando há o contato humano com a água, por exemplo, a vigilância sanitária exige o monitoramento da qualidade a fim de garantir que a água esteja em conformidade com os padrões estabelecidos pela legislação. Esse monitoramento precisa ser realizado por um laboratório que tenha acreditação dos parâmetros pelo INMETRO e as análises devem estar sobre a responsabilidade técnica de um químico (exige-se o CRQ do profissional).

Você fica tranquilo, pois sabe que a qualidade da água do poço está sendo realizada e a legislação está sendo cumprida.

Monitoramento de Produção e desempenho – MPD

Primeiro, responda para si mesmo essa pergunta: Numa escala de importância de 0 a 10, sendo o 0 uma importância superficial e 10 uma importância profunda, qual o nível que você dá para o seu poço?

……… TEMPO PARA RESPOSTA ………

Se a sua resposta for abaixo de oito, talvez esse monitoramento não seja para você. Isso porque quem tem alta percepção de valor do monitoramento de produção e desempenho é justamente quem dá muita importância para o poço.

Essa importância está diretamente relacionada ao uso e a disponibilidade de água. Uma cervejaria que utiliza a água em seu processo produtivo e não pode ficar sem ela, por exemplo, considera o poço profundamente importante, pois se tiver que usar água da concessionária ou de caminhão pipa, pagará um valor por m³ muito maior. Além disso, a empresa sabe se o poço está produzindo o que deveria e se é o momento para uma manutenção/limpeza. Já o seu João que tem um sítio com um poço usado aos finais de semana não sente muita falta caso tenha redução na produção ou o poço pare devido a uma queima da bomba.

Se você deu nota 8 ou mais, no entanto, o monitoramento de produção e desempenho pode te ajudar na gestão hídrica.

Com o MPD conseguimos visualizar aspectos do poço que seriam impossíveis de serem observados a olho nu, assim como em um exame de Raio-X, por exemplo. Utilizando equipamentos específicos para coletar as informações e inteligência hidrogeológica aplicada de forma sistêmica, elabora-se um relatório com diagnóstico completo do poço, assinado por um geólogo especialista em águas subterrâneas.

Existem três tipo de planos de captação dos dados para o monitoramento de produção e desempenho:

Básico In Loco
Uma vez por mês são feitas medições durante uma hora dos níveis do poço e leitura do hidrômetro.

Intermediário In Loco
Uma vez por mês são feitas medições por uma hora dos níveis do poço e leitura do hidrômetro. Além disso, todos os dias uma pessoa responsável do cliente faz a leitura do hidrômetro e reporta para a Geoblue via sistema.

Turbinado (Sistema de Monitoramento Remoto – SMR)
Fazemos a instalação de equipamentos de telemetria e os dados são coletados de dois em dois minutos e enviados de forma remota.

Contar com o auxílio da Geoblue em todo esse processo é crucial para o seu empreendimento! Ficou com dúvida sobre o tema? Entre em contato conosco para mais informações.

Preencha o formulário abaixo e um especialista irá retornar o seu contato.

Sobre o autor:

Rodolfo  Locher

Rodolfo Locher é sócio-diretor na Geoblue Soluções Ambientais, formado em Sistemas de Informação pelo Instituto Mackenzie – SP (2003) com extensão em Business Intelligence pela FGV (2005) trabalha há dez anos com Meio Ambiente