Dados são o novo petróleo! Será? 

13/11/2023 • Atualizado em

Vivemos na era da informação e os dados já são considerados como o “novo petróleo”. Essa expressão tem sido amplamente citada no mercado, com executivos de todo o mundo defendendo a ideia de que os dados são tão, ou mais, valiosos do que o petróleo. Em tese, quem souber fazer bom uso deles e aproveitar todo seu potencial só tem a ganhar.

Enquanto o petróleo é um recurso finito e desafiador de se encontrar, dados e informações são produzidos todos os dias e estão disponíveis na era digital de forma abundante. Contudo, ambos precisam de especialistas, com conhecimento e inteligência para transformar os recursos brutos extraídos em ativos valiosos.

A quantidade de informações disponibilizadas graças à internet e às tecnologias digitais é enorme e está acessível para todos. Embora muitos de nós possam facilmente encontrar informações com uma rápida busca no Google, o verdadeiro valor reside na capacidade de transformar informação em conhecimento e aplicar esse conhecimento de maneira inteligente.

Vamos entender as definições de dados, informação, conhecimento e inteligência:

Dados

Dados são elementos brutos e sem significado por si mesmos. Eles podem ser números, palavras, imagens ou qualquer outra representação simbólica de fatos ou eventos. Por exemplo, números de vazão de um poço artesiano, datas, nomes de pessoas, ou qualquer outra informação em sua forma mais básica, são considerados dados.

Informação

Informação é o próximo passo na transformação dos dados. Ela surge quando os dados são processados e organizados de forma a terem significado e utilidade. Por exemplo, se tivermos uma lista de números de vazão do poço ao longo de um mês. Calcular a média desses números nos fornece informações sobre a vazão média daquele mês.

Conhecimento

O conhecimento é uma etapa além da informação. Ele envolve a interpretação da informação e a sua contextualização. É a capacidade de compreender as relações entre diferentes conjuntos de informações e aplicar esse entendimento a situações específicas. O conhecimento pode ser adquirido através da experiência, educação e aprendizado contínuo.

Inteligência

A inteligência é a capacidade de usar o conhecimento de forma eficaz para resolver problemas, tomar decisões e adaptar-se a novas situações. Envolve o pensamento crítico, a criatividade e a capacidade de aprender com experiências vividas e desafios. A inteligência vai além de simplesmente possuir conhecimento; é a habilidade de aplicar esse conhecimento de maneira eficiente e adaptativa.

Pode até ser que o “novo petróleo” sejam os dados, mas em sua forma “bruta” tem pouco valor. O grande diferencial é a aplicação do conhecimento e inteligência.

Se você tem uma dor de cabeça, por exemplo, pode recorrer ao Google para encontrar, gratuitamente, diversos sites com informações para aliviar a sua dor. No entanto, se enfrentar uma dor de cabeça recorrente, persistente e potencialmente complexa, é provável que você vai querer pagar por um diagnóstico de um neurologista que vai propor uma solução para o seu problema. Nessa hora você está buscando o conhecimento e a inteligência daquele médico, pois aquilo tem muito valor.

Da mesma forma, a telemetria para extração de dados e informações de um poço artesiano está cada vez mais acessível. Diversas empresas fornecem tecnologia de hardware e software para coletar dados do seu poço. Porém, o que significam esses números para você? Se o nível do poço desceu em relação a medição anterior, isso é um problema? A vazão baixou, o que você precisa fazer? Para essas respostas, assim como o exemplo da dor de cabeça, você precisa de um especialista que vai aplicar conhecimento e inteligência na interpretação dessas informações. Um diagnóstico preciso pode determinar se há problemas no poço e, mais do que isso, sugerir as ações corretivas necessárias para resolvê-las.

A telemetria fornece dados e informações, mas o conhecimento e a inteligência capacitam a tomada de decisões informadas e a ação eficaz, o que, em última análise, tem um valor inestimável para manter a operação do poço em condições ideais.

A Inteligência Hidrogeológica da Geoblue se baseia em quatro tipos de análise:

Análise Descritiva | O que aconteceu?

Descreve e resume os dados coletados do poço artesiano, identificando seus padrões.

Análise Diagnóstica | Por que aconteceu?

Busca entender as causas e os motivos por trás de determinados eventos ou padrões identificados na análise descritiva.

Análise Preditiva | O que pode acontecer?

Prevê eventos futuros com base em dados históricos do poço artesiano.

Prescritiva | O que fazer?

Recomenda ações a serem tomadas para otimizar a gestão do poço artesiano e garantir sua sustentabilidade

A capacidade de compreender, interpretar e aplicar informações de maneira eficaz é o que diferencia as pessoas e organizações de sucesso. O conhecimento e a inteligência permitem a tomada de decisões informadas, a resolução de problemas complexos e a criação de novas soluções.

O verdadeiro valor está na capacidade de adquirir, desenvolver e aplicar conhecimento e inteligência em um mundo em constante evolução. A valorização do aprendizado contínuo e do desenvolvimento de habilidades intelectuais é fundamental para prosperar em qualquer campo.

Conte conosco para fazer a gestão do seu poço artesiano!

Preencha o formulário abaixo e um especialista irá retornar o seu contato.

Sobre o autor:

Rodolfo  Locher

Rodolfo Locher é sócio-diretor na Geoblue Soluções Ambientais, formado em Sistemas de Informação pelo Instituto Mackenzie – SP (2003) com extensão em Business Intelligence pela FGV (2005) trabalha há dez anos com Meio Ambiente